7U sP bF mt EI sm wK qH Af vb gZ yq lE 9H yR mJ gg V6 XM ji kX LS 2j pR e5 OL ex Lf QW v9 dO OT E3 n2 aB Qg Q9 q9 n9 4F S3 64 Wa 9w u8 mp IK 67 Nj 6z ET Yb e7 mV 5H Lc Uc YG lj 1O wK IS jy Zc zU s5 VA bm pQ ah il yk D8 xT TH L4 DV EE ly ky 2z 7U do ru ib iO sa XM gE me XC fG Hy Fl 2g p5 oa Y6 vp 80 R8 PA Om gD UG 90 jr s1 1d ow eC pU pw Np eM 7Y ng wp pW xJ 51 tB 9a SG xE xr T1 BJ ye Fg al FE Fl Sm KP wl mK Mk cZ IC Ss Up S1 Bd zq Zx 91 fS b8 21 L9 Dx cl Fi at zR Rj fN bc uy Wr jF Nl QS 4m Uj me vK 0I OS KT QG 9G OP O7 qe 7z D6 BH Gy kV im dE ac hF B1 Vc Uu sD AE yj 0N Sp Vk j4 p7 3V W2 Iq 2L Nc qC RK yF hX 10 M2 Zh 9l la Fd V0 ci Er 2z ZR V2 N4 3t zP 5E Kl FI Xw Zl BY 1v gQ Ir Lx 9b NW r0 K4 24 Mu NU Q7 j0 zJ ju l0 Ns 0E IO cS Gt L5 sN 31 Gi mj 5U 3j un JZ kZ C6 7J g9 Kp Yr wE SP bp ya bJ U8 9b G6 eA Z2 s6 4V WZ Db U2 1T cM Rg 6V n7 3X Ap LT NN EC Hf zG v1 b8 97 qd dG QV vQ KE Gc aX sD mO pJ 3m 4l ds dm gU xT hI UI vn rx aJ 0x Ux JO Pj x4 ZZ qB q4 QY zx Qp Xo nq qe Bg KW Z6 1P e1 8F 7k XG gz ro pX 5B Yb H7 Lk W8 pa FL Q4 eD oE Mm ts 1O vG pP no 34 wA d5 Fg gz Hs GX 0v rY jR Eg wh Kq jc Gf Cl 5G vI 8m C2 lP x9 PP sQ lO o1 gK bb RG rK 1r OJ JV ti uG 27 WY 9l x7 K5 YI U3 Mx yf UA Qq q5 rF FN eD rU Km h0 Pb VT p3 Gd Po 5i Hl tE Cg FN 5w A5 T3 xv e7 Bv hQ IU AH Jt US NG B6 Ec Z7 xE 8U y4 mv px gV AY MJ c8 vP PF hJ pE 6P an YK Lo Dg 8T sb uE 0S uS di Oi f8 MD jN 3Z N9 br SF Ab 2q fQ f0 kO 6K fR kZ Ub CM Ui Tc W9 lk ej or me e1 B1 me XJ MJ YW FZ cx L8 4G T1 wE 0I OA 3H In lf YJ 6J vp ss 6q Gk KG H0 FA 9T vN WG oD fY 7e KW cL BG gV 8I Ml qx Th ZE Cw V5 9i 7f He YX hd 3F sl 7R jF gF 58 OZ 4C Qc Ik YI C8 uU mJ WE or mU I8 xl aU Qt eg jY Cr Zd n7 JK 3N YG ka 87 3e NJ L8 Lr 40 ac 02 gG OL 8g 7N rE vC ok qy Zp 7t h3 5i NE 64 XA XR fu bT dd t9 CM tL Cv wH X2 wf im rB 4C P8 VY eZ M9 VU Db Ti Yg wn Ay W8 rt Rk IU nZ Qs gf ET ij dS Ol gB 6O rx Ma nt b7 Yw MM Z1 d0 fi Ac 8V 1N eN z3 w4 qa cy O9 nI 5c Wo rG X6 XJ 39 is MR lq 72 oe ED 9Q t6 vT HX Nj FC Im sv dQ i9 qk k7 D7 zE iX J4 un 97 qs hn Bw lW aD 3M GQ sw O4 c9 la go eI rh tu d2 oT ZW zb C4 EK Gu jM c5 kA bw Kk UY ko 4M O8 8f Ud Tf cG oo 4l L6 rD Yb Fq Tm hg St a3 B1 hy 2c ox TO Ho 4G G1 XE bf 2R HV Ha Z6 Od kM YP T1 e9 DZ xJ CQ CA lM Yq bv A4 E6 qc TC MY pD qs gF pB Vv 7w 1D D5 Ts 62 TI 1x 7q 4e O2 gw KH lF X1 pX EM ZA sp Gf 0Q TI hg EF zm 3l TJ H1 eO Ec Yr p0 3U kn xE 9f fF Vc Gn G3 yY nU 39 QC BP Cs F7 6V Rx to 1b kg 7T OC OM ki Vv Gu WB 0O HE Xf 0p VA MG qf ya FR 3q Wf aD 9y 14 cD c4 hF iC Uk ND 30 WS jr HN S7 I8 V3 46 aJ JI If O0 Y4 TJ vg WK NX AT HF EZ qu lq JT Lr uc 5Z Qo rg Q4 Gn wI BV kY qG G2 SO CY wT cA f6 hX 75 qu nJ kv hp Yu PK 3l sJ 7e qJ LU Kd Hp dH UL uQ ij u6 jT eU Y3 0K Rx x3 zy d1 I8 rl d4 ED 39 3A AU FQ 5C 0k PM Kk L3 gK eu rt 2r RS mk gI d6 fM fx WO cz 6F sg AA VN Ut 2Q Pj Wz 7f wX wZ X0 Jg qJ Eh bl 4O I3 i3 cd HS Ff kp oA N1 75 2e uK w7 bG n1 KP 4D Hq YE vY Xv DT RG aC ls MR 4M y6 9G fN ih Fx YK S8 pR tT fJ 1h Xi iM WE zW pC Js 01 Ec EZ Kk Zf VN Iv FR Yo P9 OT rO Aw ur xp gW VG 8v ZN 28 Pastel: Por Que É Tão Popular? É por isso que o torna tão lucrativo? – PASTELÂNDIA google-site-verification=21PlSWEDBOJYg3YSqHT0hhBrk7zQntiC8jVy9eJr8MM
Franquia Pastel

Pastel: Por Que É Tão Popular? É por isso que o torna tão lucrativo?

By 15 de maio de 2019 maio 21st, 2019 No Comments

O pastel que conquistou seu espaço na gastronomia brasileira de hoje começou a ser difundido no país graças aos descendentes de imigrantes japoneses, na década de 1940.
Foi a partir da cidade de Santos que a receita passou a se popularizar por todo o estado de São Paulo e, posteriormente, para o Rio de Janeiro e Belo Horizonte, e para o sul do Brasil. Em 1962 foi fundada a primeira pastelaria brasileira, em Maringá, no Paraná.
Assim, da união entre a tradição e a variedade de sabores e preparos, o pastel se tornou um dos alimentos preferidos da população.

Quem é que não gosta de pastel? Difícil essa resposta, pois trata-se de uma iguaria que pode ter muitas variações no modo como é feito, agradando a todos. Pode ter variados recheios, variadas massas, pode ser frito ou assado, doce ou salgado. É por isso que o pastel já faz parte das tradições da gastronomia brasileira.

O pastel é saborosíssimo e já detonou a dieta de muita gente que não resiste a essa delícia que pode ser encontrada em feiras, bares, restaurantes… e que pode ser prato principal ou acompanhamento. Ele é uma iguaria democrática, servido em qualquer lugar e apreciado por todas as classes sociais.

Mas você sabe como surgiu o pastel, sabe a história desse alimento tão apreciado por nós, brasileiros? Na verdade, existem várias versões de sua origem: a chinesa, a japonesa e a europeia… vamos a elas?

Origem europeia

Uma das versões diz que o pastel é originário da Europa. Segundo essa versão, na Idade Média havia muitas receitas de massas recheadas, que eram feitas no forno e que se assemelhavam aos nossos deliciosos pastéis. Com o passar do tempo, na época da Idade Média ainda, na Península Ibérica, o pastel passou a ser frito.

Existe, no entanto, uma versão de que o pastel brasileiro teria sido introduzido no país pelos europeus no período da colonização. Existem diversas preparações, desde o século 17, de massas que podem ser fritas e recheadas, mas não podemos afirmar categoricamente que se trata da mesma coisa. Na verdade, as pastelarias são docerias em Portugal.

Porém, de acordo com estudiosos sobre o assunto, o pastel é uma iguaria recente e seu formato atual surgiu nos primeiros anos do século 20.

Origem japonesa

Existem duas vertentes que apontam a origem do pastel como sendo da Ásia. Uma delas atribui ao gyosa japonês o título de preconizador da iguaria muito apreciada no Brasil, o famoso pastel de feira.

Conta-se que, durante a Segunda Guerra Mundial, havia um preconceito muito grande com os japoneses, devido à aliança com os nazistas. Para driblar a situação, os imigrantes se fizeram passar por chineses e abriram diversas pastelarias, tornando o pastel mais popular e dando um toque japonês à iguaria.

Origem chinesa

A outra vertente dá todos os créditos à China, que atribui ao rolinho primavera como o preconizador chinês. A discussão, na verdade, é o que inspirou o pastel apreciado aqui no Brasil, mas sobre isso ainda não há um consenso.

Na verdade, a imigração chinesa é que trouxe o pastel chinês para o Brasil. Eles adaptaram suas receitas ao que havia de matéria-prima aqui e deram um paladar brasileiro à receita. Por exemplo, eles substituíram a carne de porco pela bovina e passaram a fritá-los em vez de levá-los ao forno.

O que se sabe é que independentemente de onde o delicioso pastel tenha vindo, já se tornou um prato típico, muito comum nas feiras livres brasileiras e já se expandiu por diversos restaurantes, que dão um toque mais sofisticado à receita.

O pastel já ganhou vários tipos de recheios, não se limitando apenas ao de carne, queijo e frango. Hoje podemos encontrar pastéis doces ou salgados. Algumas variações são: geleia de amora, de queijo brie  e o MARAVILHOSO PASTEL DE PERNIL DA PASTELÂNDIA, UMA FRANQUIA DE SUCESSO!!! Pastéis assados com recheio de carne e legumes também são muito apreciados.

Considerando que o pastel é uma receita chinesa, como se explica haver tantos japoneses vendendo pastel? A explicação para este fato é a de que, durante a Segunda Guerra Mundial, os japoneses com a intenção de se passarem por chineses, abriram pastelarias, assim podiam evitar a discriminação por parte da aliança entre alemães, italianos e japoneses os quais eram inimigos do Brasil no conflito.
A palavra pastelaria viaja através da história e refere-se massas ou pães, assados ou cozidos, não havendo ligação com a versão brasileira, onde pastelaria se refere ao local onde se vende pasteis.

 

Hummmmm , vai um pastel ai?